Governo do Amazonas

PROJETO RESPIRAR já atende cerca de mil pessoas acometidas pela Covid-19 após um mês de ampliação.

O projeto do Governo do Estado, que integra o Programa Saúde Amazonas, é voltado para a reabilitação cardiopulmonar e física de pessoas acometidas pela Covid-19

Após a ampliação do Projeto RespirAR, coordenado pela Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) e Secretaria de Saúde do Estado (Ses), o número de pacientes atendidos na Vila Olímpica de Manaus, Centros de Covivência, Policlínicas e CAIMIS, quintuplicou somente no primeiro mês. A ampliação foi anunciada pelo Governador Wilson Lima em agosto, com o aumento total de pontos de atendimentos.

As equipes do projeto já trabalhavam na recuperação de 200 pessoas na reabilitação cardiopulmonar e física, com a ampliação esse número saltou para cerca de mil pessoas atendidas. Nesse período, também houve 1.600 agendamentos de pessoas aptas a receber o encaminhamento para avaliação dos profissionais do RespirAR.

Para o coordenador do Projeto RespirAR, Neibe Araújo, a ampliação gerou, também, aumento no atendimento de pacientes em unidades administradas pela Fundação. “Na Vila Olímpica, inicialmente, antes da ampliação, atendíamos um total de 89 pacientes. Após a ampliação, alcançamos 189 pessoas. Este é um demonstrativo da dimensão do crescimento do projeto que toma dimensão nacional e repercussão internacional”, comentou.

Neibe ainda ressalta que essa assistência é feita de forma personalizada, com equipamento de ponta, por se tratar de pacientes acometidos pela Covid-19. “Esses usuários têm um atendimento personalizado, porque são usuários pós-Covid. Inclusive, esse paciente que faz atividade na esteira é monitorado com equipamento que permite reavaliar a necessidade de retorno para a fisioterapia”, destacou.

O projeto do Governo do Estado, que integra o Programa Saúde Amazonas, é voltado para a reabilitação cardiopulmonar e física de pessoas acometidas pela Covid-19, com meta de alcançar cerca de 2.500 pacientes atendidos. De acordo com a secretária executiva adjunta de Assistência Especializada da Capital, Márcia Murad, é importante que a população não perca a oportunidade, principalmente por conta da mudança de contato do número de telefone.

“Atualizem o número de contato de cadastro no sistema de regulação (Sisreg). Uma vez que estejam com sua solicitação inserida, façam a busca na unidade onde solicitou para saber se já foi autorizado. Não fiquem aguardando por tempo indeterminado, porque pode acontecer de autorizar o atendimento e a unidade não conseguir contato para avisar, por mudança de número de telefone ou qualquer outro motivo que não permita o acesso e o usuário perde a oportunidade de ser atendido”, explicou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.