InternacionalPolítica

Ministro israelense acusa Lula de tentar ‘censurar e distorcer a verdade’, endossando críticas de Elon Musk

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, fez uma uma crítica direta ao presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, nesta quinta-feira (11). Em uma postagem na plataforma X, Katz sugeriu que Lula deveria ser bloqueado na rede social devido ao que descreveu como seu “hábito de censurar e distorcer a verdade”.

“Se alguém deveria ser bloqueado ou censurado no X deveria ser você, Lula. Você tem o hábito de censurar e distorcer a verdade, então não é surpresa que esteja tentando censurar os outros”, Katz expressou, marcando uma escalada nas tensões entre o político brasileiro e figuras internacionais.

A declaração do chanceler israelense veio em resposta ao proprietário do X, Elon Musk, que havia comentado sobre a censura no Brasil, afirmando que “a gravidade da censura e o nível em que as leis do Brasil estão sendo quebradas, em detrimento do seu povo, são os piores entre os países em que esta plataforma opera”.

Essas discussões foram inflamadas por comentários anteriores de Musk, que durante o fim de semana acusou Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), de promover censura, especificamente contra posturas e perfis de direita na plataforma, no contexto das revelações dos Twitter Files Brazil.

A crítica de Katz a Lula não é um evento isolado. Em fevereiro, após o presidente brasileiro comparar a ofensiva de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto, o ministro israelense já havia expressado sua indignação. A tensão entre os dois países aumentou quando Katz levou o embaixador brasileiro em Israel, Frederico Meyer, para uma visita ao Museu do Holocausto, e Israel declarou Lula “persona non grata”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.