AmazonasDestaquesSaúde

Amazonas registra redução de casos de HIV/Aids, mas ainda apresenta aumento em relação a 2020

Em comparação a 2023, a redução foi de 17,6%, porém, se for comparado o cenário epidemiológico em um espaço de tempo maior, o Amazonas apresenta aumento no número de casos da doença ao longo dos anos

O Amazonas teve uma redução de 17,6% no número de casos de HIV/Aids em 2023, em comparação com o ano anterior. É o que apontam os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) e Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP).

Segundo o painel epidemiológico, em 2023, o Amazonas registrou um total de 1.984 casos de HIV/Aids. Foram 424 casos a menos que em 2022, quando o estado registrou 2.408 casos, ou seja, uma redução de 17,6%. Porém, se for comparado o cenário epidemiológico em um espaço de tempo maior, o Amazonas apresenta aumento no número de casos da doença ao longo dos anos.

De 2020 a 2023, houve um aumento de 25,8% no número de casos de HIV/Aids no estado. Em 2020, foram registrados 1.577 casos da doença, já em 2023, esse número saltou para 1.984. A alta foi ainda mais expressiva se compararmos com o ano de 2022, quando o estado registrou quase 2,5 mil casos, o maior registro nos últimos 10 anos.

Vale ressaltar que HIV e Aids são duas condições clínicas distintas e representam fases diferentes da infecção. Portanto, muitas pessoas que vivem com HIV podem não desenvolver a Aids, que é o estágio mais avançado da infecção pelo HIV e surge quando a pessoa apresenta infecções oportunistas devido à baixa imunidade ocasionada pelo vírus. O painel epidemiológico da FVS, no entanto, não apresenta dados separados das duas condições.

Cenário Global

De acordo com dados do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids), em 2022, havia 39 milhões de pessoas vivendo com HIV. Sendo 37,5 milhões de pessoas adultas (15 anos ou mais) e 1,5 milhão de crianças (0 – 14 anos). 53% de todas as pessoas vivendo com HIV eram mulheres e meninas. Cerca de 86% de todas as pessoas vivendo com HIV sabiam do seu status para HIV.

No Brasil

Dados apresentados pelo Ministério da Saúde em novembro do ano passado revelam que 1 milhão de pessoas viviam com HIV no Brasil em 2022. Desse total, 90% (900 mil) foram diagnosticadas, 81% (731 mil) das que têm diagnóstico estão em tratamento antirretroviral e 95% (695 mil) de quem está em tratamento antirretroviral têm carga indetectável do vírus.

Ainda segundo o relatório, até setembro de 2023, 770 mil pessoas vivendo com HIV estavam em tratamento antirretroviral – 5% a mais que o registrado em todo o ano de 2022. Dessas, 49 mil iniciaram o tratamento em 2023. Atualmente, quase 200 mil pessoas sabem que têm o HIV no Brasil, mas não se tratam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.